terça-feira, 15 de janeiro de 2008

Língua Estrangeira no RVCC Secundário.

"Qual o papel da língua estrangeira no Referencial de Competências-Chave para a Educação e Formação de Adultos - Nível Secundário? Consegue-se obter o mínimo de 44 créditos para a certificação de nível secundário sem a evidenciação de competências em língua estrangeira? É possível atribuir um crédito a uma competência sem se evidenciar o elemento de complexidade Tipo III em Língua, se se tiver evidenciado um elemento de complexidade Tipo III em Cultura e Comunicação? Que língua estrangeira pode ser trabalhada? Podem ser trabalhadas duas línguas estrangeiras ao mesmo tempo para além da língua portuguesa?
a) De acordo com a promoção de uma sociedade plurilinguística e pluricultural, traçar um quadro de reconhecimento de competências e aprendizagem baseado numa só Língua seria redutor e desenquadrado das exigências do mundo actual.
Assim, assumindo o papel fulcral da Língua na construção da identidade de cada indivíduo e nas relações com os outros, assumindo a sua importância para o desenvolvimento pessoal, profissional e cultural do indivíduo, assumindo a relevância do seu papel na troca de ideias entre cidadãos de qualquer quadrante do mundo, o presente Referencial de Competências-Chave de nível secundário pressupõe como obrigatória a evidenciação de competências em Língua Estrangeira.
b) Os Critérios de Evidência foram concebidos de forma a não ser possível a creditação mínima em Cultura, Língua, Comunicação (14 competências) sem que os adultos se confrontem com a necessidade de evidenciar competências em língua estrangeira, pois para ser atribuído o crédito a uma determinada competência que tem a formulação de língua portuguesa e/ou língua estrangeira, deve-se entender como a conjunção das duas línguas, com o mesmo nível de proficiência em termos de competências para a acção.
c) As competências têm de ser evidenciadas no seu todo e em acção, embora para a atribuição do crédito, se considere que tem de se obter pelo menos um dos critérios de evidência de Tipo III e uma combinação de Tipo I, II ou III nos outros dois domínios. Não pode haver critérios de evidência que não tenham qualquer reconhecimento.
d) Pode ser trabalhada qualquer língua estrangeira e pode ser trabalhada mais do que uma língua em simultâneo, contudo a evidência de competências numa só língua estrangeira é suficiente para o reconhecimento em Cultura, Língua e Comunicação e pensa-se que também pode ser mais eficaz para um processo de aprendizagem, como aquele que se desenvolve ao longo do RVCC."
Fonte: ANQ

2 comentários:

João Cardoso disse...

Já agora podiam explicitar a fonte para este delírio? Quando digo fonte refiro-me à ANQ mas explicitando o quando, onde, etc.

JL disse...

Bom dia.
A fonte é muito simples. Está na página da ANQ em www.anq.gov.pt.