quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Balanço...

Foi na cidade berço que ontem, dia 30 de Novembro de 2010, se juntaram elementos de diversas equipas técnico-pedagógicas de Centros disseminados pelo país.
Cada viagem é uma experiência”. E foi com estas palavras de Roberto Carneiro que, após a sessão de abertura, se procedeu à “ordem de trabalhos”.
Num contínuo esforço e investimento, sob um céu cinzento e choroso, foram muitos os quilómetros percorridos por muitos para, também sob o espectro de luz espelhado em Arco-íris, (re)encontrar colegas (unidos pelo propósito de consolidar a Educação Permanente e Formação de Adultos, cristalizando-a em pressupostos sólidos) e...


...fazer um ponto de situação relativamente aos resultados e evidências da Iniciativa Novas Oportunidades e dos Estudos de Avaliação Externa

...partilhar boas práticas de Centros Novas Oportunidades, fundamento da importância do trabalho em rede

...reflectir sobre o novo ciclo da Iniciativa Novas Oportunidades, rumo a 2015


Liderança, inovação, conhecimento, invenção, astúcia, visão e confiança foram as palavras sinalizadas como essenciais para fazer emergir qualquer projecto ou dar continuidade, de forma sólida e confiante, a outros que já existam. Assim acontece com os Centros.
Nesta Sociedade da Informação e do Conhecimento que nos alberga enquanto cidadãos e aprendentes, vemo-nos perante um novo desafio: “das Novas Oportunidades às Novas Necessidades”, como foi referido. Assim, a INO (Iniciativa Novas Oportunidades) será prefixo e motor de:

  • INOvação social
  • INOvação cultural

  • INOvação económica

Rumo...? Life Long Learning!
E, neste contexto, Luís Capucha, Presidente da ANQ, apresentou o esboço do que será o Novo Ciclo desta Iniciativa, referindo as metas e os objectivos estratégicos a alcançar no período compreendido entre 2011 e 2015. Desta forma, foi enfatizada a importância/necessidade de (entre outros aspectos) consolidar e alargar a oferta destinada a jovens e desenvolver novas e mais oportunidades de acesso a Aprendizagem ao Longo da Vida. Com esta estratégia renovada pretender-se-á, então:

  • Sustentar o que já existe

  • Mobilizar novos públicos para a importância capital do aumento de qualificações

Mas, em termos práticos e operacionais, creio que (ainda) pode ser colocada a questão: o que acontecerá, efectivamente, aos Centros e aos recursos humanos afectos aos mesmos? De forma a dar visibilidade e estrutura a esta nova dinâmica organizacional e funcional, será necessário extrair um pouco de cada cor do espectro do Arco-íris de modo a colorir cada passo... rumo a (2011 e...) 2015.

2 comentários:

Anónimo disse...

Em relação aos recursos humanos afectos aos Centros, Luís Capucha referiu que irá ocorrer um redimensionamento das equipas e que novo ciclo, não haveria metas mas sim, avaliação de indíces de desempenho.

Ou seja, a dimensão das equipas irá depender do nº de inscritos, em diagnóstico e os adultos em processo RVCC.

Cidalia disse...

Olá, Esta foto, ficou de facto muito bem conseguida!

Tb por lá estive ... mas não vi arco-iris tão inspiradores!!

Mas, concordo perfeitamente com a leitura que fez.

bom trabalho