sexta-feira, 2 de março de 2007

Tema - Debate: Os Júris de Validação

Colocamos uma questão: Qual a utilidade/validade das sessões finais de avaliação (Júris de Validação) no âmbito do processo de RVCC?
Algumas frases para ajudar à reflexão. Por favor, deixem um comentário.
"Os júris são momentos de validação que garantem aos adultos a validade do processo que terminam naquele momento."
"Não há qualquer utilidade ou necessidade de existir uma sessão final. O processo começa e acaba com os formadores e técnicos. A validação final nada vem trazer de novo ao processo."

"O adulto vê no processo de júri um momento de conclusão válida para o seu processo. Se for bem dirigida a sessão de validação final é uma mais valia para o reconhecimento público do processo de RVCC."

"As sessões de júri são momentos burocráticos, que são necessário cumprir para o adulto ver validado o seu processo."

3 comentários:

Cristina Costa disse...

Olá Dr. João Lima!
Antes de mais quero felicitá-lo por este espaço de partilha. A ideia é óptima e o blogue está muito atractivo!
Em relação às sessões de júri ocorre -me dizer que são o grande pontapé de saída para um novo percurso de vida. Com a auto estima renovada os adultos agarram as sugestões que o avaliador faz a cada um.

Carlos silva disse...

Viva !

Bem, de facto as sessões de Júri são uma mais valia para estes processos, Principalmente se houver um avaliador Externo à altura, não daqueles que aparecem na hora para ver os seus portfólios.

Desta figura eles acatam mais facilmente os conselhos...

Há uma coisa que me incomoda em alguns processos deste género, é o facto de a maior parte das pessoas sairem destas sessões com a sua auto-estima muito elevada.. o que é óptimo, mas só até certo ponto, e verão daquilo que falo quando esses mesmos adultos se inscreverem nos Processos de Nível Secundário convencidos que estão cheios de competências... As mesmas pessoas que motivaram, vão-lhes comunicar que afinal não é bem assim... Toca a descalçar esta bota...

A ver vamos...

cumps

PS: Parabéns pelo Blogg ..

JL disse...

Meu caro Carlos Silva,

Concordo consigo que a motivação dada aos adultos deve ser moderada. Na minha prática tenho indicado aos formadores sempre para indicarem os "pontos fracos" do dossier ou nas competências do adulto, indicando também formas ou práticas para as superarem. Penso que o júri de avaliação não deve ser um momento de "passeio" pelo fim do processo. O adulto deve confrontar as suas mais-valias pessoais e de competência, assim como, ouvir em júri aquilo que lhe falta adquirir para melhorar esses mesmos pontos. Esse é um dos papeis do avaliador externo.

Obrigado pela visita ao Blog e pelo comentário.
Cump.